Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2012

Histórias infantis para adultos

Não é brilhante nos desempenhos, não é fulgurante nas personagens ou nos enredos, não é de todo candidata a uma das melhores séries de sempre. Depois destes "nãos", está aberto o caminho dos louvores para a série "Grimm", que em Portugal passa no canal Scyfy.
A história é aparentemente simples: um detective, devidamente munido de uma mulher encantadora e de um colega despachado, inicia uma viagem de conhecimento que o leva a compreender que tem poderes especiais. E que há todo um lado oculto da humanidade que lhe era desconhecido. E a série vai por aí fora, sempre com um crescendo de conflito interessante na personagem principal - que se tornaria mais visível se o actor que o interpreta (David Giuntoli) não fosse demasiado brando. A arquitectura da série é uma das suas maiores qualidades. Em cada episódio há um crime, mas este é construído em intertexto sobre um dos contos dos irmãos Grimm. Nos episódios mais conseguidos, não só se consegue acompanhar a leitura de …

Gore Vidal, Séneca II

Todas as comparações são excessivas; todas as comparações têm, porém, a capacidade de revelar a singularidade de cada elemento da comparação. Assim com Gore Vidal, que ontem caiu no sono de pedra.
Conheci-o no seu Juliano, tinha eu catorze anos. Foi um péssimo primeiro encontro entre um escritor fulgurante, pintor-polvo de muitos cenários em simultâneo, um imperador apóstata, e um adolescente obcecado por ficção histórica.  Eu estava a começar a aprender a ler (ainda hoje não sei completamente), pelo que andei baralhado uns dias com aquela escrita cheia de quebras, montanhas, alusões, jeux d'esprit.  Teriam de passar mais dez anos. O Rui deu-me a ler alguns ensaios de United States (Essays 1952-1992). E aí Séneca e Montaigne encontravam-se - e davam um retrato dessa espécie de ironia hiper-consciente e inteligente que era a primeira ferramenta de análise de Gore Vidal: «Montaigne começou a escrever para si mesmo sobre si próprio, e sobre o que ele tinha andado a ler e que se tinha…