Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2010

Londres, dia 3: meditação em euston road

Eu conheço estas ruas mas elas não me conhecem. O homem que andou por aqui anos antes tinha um pacto com o sonho; uma ligação, irreal, romântica, adultamente infantil. Esta outra pessoa de hoje não é a anterior. Nasceu das feridas dessa outra. Foi só em viagem, numa outra, que compreendi que sou permanentemente o meu nascimento. Que o que faço aqui é nascer, cada vez mais em luz. Mas como o Universo, só se nasce das próprias feridas.

Chove, chove sempre entre Marchmont Street e Euston Road. Pergunto a este chão se se lembra dos meus passos. Responde-me com milhares de seres, com vidas que não se cumpriram e outras que sonharam outros espaços, outros lugares, outras vidas. Era «um rumor de outras vidas, uma esperança de vitrais», como dizia Natércia. Esta espécie de consciência que tenho parece então alargar-se, como se uma outra pessoa que fez aquele caminho, e eu de ontem e eu de hoje nos ligássemos numa comunicação mais larga. Quem foi essa outra pessoa que me liga a mim de antes e…